Follow by Email

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Queridos amigos,

Na revista "Oficina de Educação" (nº 4, junho2012), do Colégio Oficina, a jornalista Brisa Dultra escreveu uma ótima matéria sobre Arteterapia. A publicação tem uma tiragem de 5000 exemplares, sua distribuição é gratuita e também está disponível na internet.

  http://www.colegiooficina.com.br/site/revistas/junho2012.1/revistaoficina04.html


 Além de trazer informações importantes sobre como acontece o processo arteterapêutico, a matéria destaca a ASBART - Associação Baiana de Arteterapia que vinculada à UBAAT - União Brasileira das Associações de Arteterapia possui uma lista de profissionais cadastrados e credenciados para atender de forma ética e segura. Cita também o Instituto Junguiano da Bahia, como centro de referência na capital para quem deseja trabalhar com Arteterapia. O IJBA oferece, entre outros cursos, a Pós-graduação em Arteterapia Junguiana que segue todas as normas estabelecidas pela UBAAT e é  coordenada pela Psicóloga e Arteterapeuta, Carla Maciel.

http://www.ijba.com.br/index.php

Com muita alegria pela crescente divulgação da Arteterapia, compartilho o texto oferecido para  a matéria, escrito de acordo com o convite feito pela jornalista Brisa Dultra e de onde foram retiradas informações para a composição final.


"A Arteterapia é o processo terapêutico vivenciado através da arte, e foi a americana Margareth Naumburg que em torno de 1941 a tornou uma prática sistematizada. Hoje em dia são milhares de associações espalhadas pelo mundo e a Arteterapia vem aos poucos confirmando seu valor como excelente recurso que se adapta  a qualquer público. Dois fatores são importantes para que a Arteterapia tenha um campo de atuação tão extenso: primeiro, o fato da atividade artística, seja ela qual for, por si só, já ser relaxante e prazerosa e em segundo lugar a constatação de que o "fazer e o sentir" artístico são parte da natureza humana. Todos nós vivemos de alguma forma a arte no dia à dia e isto acontece desde os primórdios da humanidade.
Meu primeiro contato com a Arteterapia foi em 2007 quando iniciei a Pós-graduação no Instituto Junguiano da Bahia. De lá para cá desenvolvi, junto com equipes, um projeto na área de saúde e um na área de educação, além de atendimentos particulares. O primeiro desafio foi um trabalho realizado em módulos de atendimentos criados para uma instituição que abriga, em Salvador, crianças e adolescentes vindas do interior do estado e necessitando de tratamento contra o câncer. O grande desafio neste caso foi trabalhar com um grupo aberto (não era um grupo com participantes fixos) e onde não havia divisão de faixa etária. Outro momento bastante significativo foi um trabalho que coordenei para atendimentos em duas turmas de 4ª série primária de uma grande escola particular, também em Salvador.
É muito importante não confundir aula de arte com um atendimento arteterapêutico. Na Arteterapia não existe nenhuma preocupação estética e o cliente não tem que se preocupar com o desenvolvimento e aprimoramento de técnicas artísticas. A arte é apenas um meio de comunicação que será utilizado pelo inconsciente do cliente. Para que aconteça todo o processo, de forma satisfatória, é necessário que o arteterapeuta esteja habilitado para transitar tanto na área artística (conhecendo materiais e técnicas) quanto na área psicológica (teorias da Psicologia). O trabalho que desenvolvo é baseado na Psicologia Analitica ou Junguiana.
A Arteterapia pode ser vivenciada por qualquer pessoa e atende todas as faixas etárias. Pode acontecer em um atendimento individual ou em um grupo, além de atender também qualquer tipo de instituição. O que o Arteterapeuta deverá observar com atenção é a demanda de cada caso e a partir daí fazer a escolha do material ou técnica que será aplicado, além de sequenciar os atendimentos para que se construa a trajetória terapêutica a ser percorrida. Nenhum elemento no contexto de um atendimento arteterapêutico é escolhido por acaso. Músicas, danças, contos de fadas, poemas, estórias, mitologia grega, africana, e muitos outros recursos, além dos materiais plásticos, tudo dentro do universo artístico poderá ser utilizado a depender do olhar atento e treinado do Arteterapeuta.
Os benefícios são inúmeros a começar pelo desenvolvimento e aprimoramento da capacidade criativa o que reflete imediatamente na capacidade do indivíduo em encontrar soluções para seus conflitos e desafios diários. Além disto, o aumento da autoestima, alívio de tensões, melhoria das relações interpessoais, autoconhecimento, compreensão dos problemas emocionais, desenvolvimento cognitivo, dentre outros.
Hoje, em Salvador, temos a ASBART - Associação Baiana de Arteterapia que junto com outras associações regionais do Brasil, todas coordenadas pela UBAAT - União Brasileira das Associações de Arteterapia, oferecem uma grande lista de profissionais cadastrados e habilitados para atuar de forma ética e profissional. Já existe uma extensa produção de trabalhos científicos, muitas publicações sobre o assunto e anualmente vários encontros acontecem. Ano passado (2011), aconteceu o Congresso Internacional de Arteterapia, em Minas Gerais, com mais de 700 congressistas e este ano (outubro 2012)acontecerá o X Congresso Brasileiro de Arteterapia, em Natal.
Gosto muito de uma frase de Nise da Silveira (Museu do Inconsciente - 1952), psiquiatra e um dos nomes de referência para a Arteterapia no Brasil: "O que cura é a alegria, o que cura é o afeto." - e a arte nos oferece esta cura afetuosa através da Arteterapia." (Ana Passaro 12/05/2012)

Muita paz!!!