Follow by Email

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Mais um ano se passou... Obrigada, 2010!!!

Momentos importantes...













De verdade...Dois mil "foi" dez, afinal, continuamos na luta.
Novos amigos, muitos novos contatos, trocas de experiências riquíssimas, bons filmes, bons livros, estudos apaixonantes, construção de bases para o futuro, muito sorrisos e no dia do Natal...um encontro com o espírito do Natal, eu testemunhei a grandiosidade da comemoração do aniversário de JESUS através de um pedido de perdão.
Tempos atrás, me deixei magoar profundamente por uma pessoa. Hoje entendo que permiti esta agressão. O fato é que fiquei absolutamente destruída, no fundo de um poço escuro, frio, apertado e solitário. Quem nunca passou por isso deve achar exagero a descrição, mas quem já passou conhece perfeitamente este lugar.
Jesus, bons espíritos, borboletas, a fênix, minhas árvores, meus mestres, as flores, meus livros, meus amigos...todos vieram me resgatar e eu, mais uma vez, permiti que isso acontecesse...voltei da escuridão, mais lúcida, mais forte e segui em frente...Crie, recriei, transformei...
No último dia 25 de dezembro, depois de um ano cheio de desafios e vitórias, encontros e desencontros, recebi em casa uma visita. A mesma pessoa que tanto me feriu, veio pedir..."Me perdoe por tudo que eu te fiz, pois só agora, anos depois, eu consigo entender a extensão dos meus atos do passado."...Dentro de mim, eu já havia perdoado, mas a partir daquele momento eu perdoei fora de mim também...eu pude me ouvir, dizendo em voz alta: "Eu te perdoo."
E foi desta forma que encerrei o ciclo de 2010 e pude encontrar 2011...mais leve!!! Neste meu caminhar sou grata a todas as pessoas que encontro, mas algumas, são muito muito especiais...Celeste Carneiro com toda a paz e conhecimento que transmite; Telma Insuela que me apresentou os óleos essenciais e assim participou do meu processo de transformação; Ana, Patrícia e Débora, as proprietárias do Espaço Holambras, onde atendo, e que me acolhem de forma tão carinhosa. Patrícia Pinna Bernardo, mente brilhante e criativa, que me inspira;Larissa Seixas, minha arteterapeuta e amiga; Claudinha Antunes, minha "sombra ruiva", inquieta, criativa, amiga de outras vidas; Lúcia Mendonça, companheira de toda hora, desde os tempos do nescafé no copinho e do derby...ecaaa, heim Lúcia...rsrsrs. Toda a minha turma de Arteterapia...nossaaaaa....não podia ter acontecido um grupo melhor...amo vocês!!
Toda a turma do NACCI; a equipe do Colégio Integral Kids; meus amigos virtuais, que não conheço pessoalmente, mas que são tão fiéis e companheiros; amigos do GEPEC, companheiros a mais de 18 anos...enfim, queridos são todos vocês, que citei ou não...TODOS SÃO ESPECIAIS!!!

Muita, muita gratidão
muita paz

Ana Passaro

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Dica da semana - KITCHIC

Queridos amigos,

Reencontrei esta semana, em uma rede social, uma amiga de colégio e fiquei entusiasmada com a delicadeza, beleza e bom gosto do trabalho que ela produz. Pedi permissão para divulgar o blog da Claudia Curvello e dividir com vocês meu encantamento!

http://kitchic.blog.com/

"Depois de tantos kits dados de presente e vendidos apenas às amigas, resolvi, finalmente, atender aos pedidos de divulgar meu trabalho e, principalmente, investir num projeto mais do que especial: papelaria fina... Então… Sejam muito bem-vindos a esse blog! Aqui vocês poderão ver um pouco dessa minha paixão por papéis em forma de kits, com cartões personalizados, convites, bloquinhos, tags e etiquetas. Espero que se encantem com todos eles da mesma forma que eu, quando os faço!

Com muito carinho,

Clauddia Curvello
" (texto de boas vindas do blog KITCHIC)

Espero que gostem! Acho que ainda dá para tentar encomendar para o Natal. No blog tem o contato da Claudinha. Na minha lista de links interessantes já está o da KITCHIC.

Muita paz,

Ana Passaro

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Violência e Saúde mental: famílias e crianças em risco

Repasso para vocês a informação que recebi por email da nossa querida Aicil Franco, psicóloga e professora do IJBA.

"Aconteceu no INSTITUTO JUNGUIANO DA BAHIA o primeiro encontro de capacitação para os profissionais que realizarão em Salvador pesquisa sobre violência doméstica em parceria com o Instituto de Psicologia da USP. O grupo, coordenado pela Drª Aicil Franco, professora do IJBA, é composto por médicos, psicólogos, pedagogos e arteterapeutas. Sob o tema, Violência e Saúde mental: famílias e crianças em risco - ministraram tal capacitação as Professoras Drª Leila Tardivo (Livre docente e coordenadora do Laboratório de Saúde Mental e Psicologia Clínica Social no IPUSP) e Drª Rosa Inés Colombo (Drª em Psicologia Social pela Universidade Kennedy Escuela de Graduados e Profª da Universidade de Buenos Aires). Ambas reconhecidas internacionalmente por suas contribuições científicas nas áreas de avaliação e intervenção psicológica. O grupo do IJBA, agora devidamente habilitado, compõe um grupo nacional coordenado pela Drª Tardivo e vem se reunindo e estudando o tema desde março deste ano. A contribuição baiana da pesquisa está programada para iniciar em Janeiro de 2011."

Muita paz,

Ana Passaro

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Indicação de boas leituras !

Amigos,

Acredito muito na recomendação de um amigo e também penso que indicar uma boa fonte de conhecimento é "crescer junto" com o outro, é interagir e compartilhar.
Abri um novo espaço no blog e aos poucos irei acrescentando os títulos de livros que considero indispensáveis para os Arteterapeutas. Para mim eles são fonte inesgotável de inspiração.
Só estarão listados os livros que eu já li... A lista inicial ainda não está completa, mas já é um verdadeiro tesouro. Foram indicações que recebi de professores, colegas e títulos que encontrei durante minhas pesquisas na internet ao longo desta jornada iniciada em 2007, com a Arteterapia.

Muita paz e boa leitura para todos!

Ana Passaro

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Arteterapia no Jornal Informativo do Colégio Integral



Queridos amigos,

O Colégio Integral publicou seu informativo (Ano 3/nº5/Novembro de 2010/Salvador - Bahia), onde consta nota sobre o "Projeto Arteterapia na Escola", que realizamos entre os meses de julho e setembro de 2010.
Segue abaixo o texto:

ARTETERAPIA

"Durante os meses de julho, agosto e setembro, os alunos do 5º ano receberam um acompanhamento arteterapêutico semanal, envolvendo elementos da Arte, Psicologia e Filosofia. Este trabalho se pautou no aumento da autoestima e autoconsciência, no auxílio ao tratamento de distúrbios de aprendizagem, na melhoria da capacidade de solucionar problemas e na qualidade das relações interpessoais dos nossos alunos. O Colégio Integral acredita que a multidisciplinaridade é o fator indispensável para uma formação completa."


Mais um espaço está se abrindo para a Arteterapia na Bahia. O Colégio Integral, uma instituição particular de ensino de grande porte, nos deu a oportunidade de mostrar os benefícios dos encontros arteterapêuticos em grupo, dentro do ambiente escolar.

Muita paz,

Ana Passaro

domingo, 7 de novembro de 2010

Reencontros, Trabalhos e Ritual

No dia 6 de novembro de 2010, aconteceu na Casa do Comércio, mais um evento promovido pelo Instituto Junguiano da Bahia.
Foi um dia de alegrias, pois as turmas puderam se reencontrar. Depois de um dia repleto de apresentações de trabalhos, conforme programação divulgada dias atrás, aconteceu o Ritual de Formatura.
É interessante esclarecer que todos os formandos já estão habilitados a exercer suas atividades assim que cumprem toda a carga horária e exigências de cada curso, mas mesmo assim, não deixa de ser um momento de emoção. É o ritual vivenciado em grupo e que marca a nova etapa.
Registrei alguns momentos do evento e como uma homenagem à todos os que participaram elaborei um pequeno vídeo (idéia oferecida por minha querida companheira Naranda Borges em uma troca de emails no grupo da nossa turma).
Pois é...terminamos a pós-graduação em 2009, mas continuamos em contato, torcendo uns pelos outros e trabalhando juntos em muitos projetos que visam fortalecer e divulgar a Arteterapia.
Uma turma que questionou, que emocionou e emocionou-se....uma turma que acreditou sempre que estava no caminho certo. Estórias pessoais misturando-se e criando uma única estória...Será arte?
Se a arte tem o poder de comunicar...assim nós fizemos e através dela nos comunicamos, trocamos experiências e crescemos juntos.

Muita paz,

Ana Passaro




Musica: Traduzir-se / Chico Buarque e Fagner

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Projeto Arteterapia na Escola - Vídeo

Queridos amigos,

Todo projeto que elaboro é como o nascimento de um filho...o período de gestação da idéia, de pensar nos detalhes, de preparar todo o ambiente, de pesquisar, de sonhar. Aí acontece o dia do nascimento...o dia do primeiro atendimento, sempre cercado de ansiedade, alegria, emoção...sabe aquele receio de que alguma coisa não dê certo misturado com a fé de que tudo dará certo...os exercícios de respiração e enfim, nasce...

A partir daí começa a evolução, o crescimento, as novidades que vão surgindo a cada encontro, os obstáculos, as alegrias...E o projeto vai criando forma, amadurecendo, até que um dia, como acontece com um filho, cria asas e toma seu próprio rumo...

Assim, como uma mãe que exibe os passos de sua criança, apresento o vídeo que resume a trajetória deste projeto.

Faço a observação justa de que esta "criança projeto" tem uma família..."A EQUIPE QUE O AJUDOU A ACONTECER".

Beijos e Muita paz
Ana Passaro

Ps. Patrícia Pinna, desde que entrei em contato com seus livros, algumas técnicas já não podem deixar de fazer parte da elaboração de meus trabalhos, por serem verdadeiros tesouros com que você nos brindou.
Receber os seus parabéns é uma grande alegria e esteja certa que você contribuiu para o êxito deste trabalho quando, lá atrás, decidiu partilhar o seu conhecimento. Obrigada!

http://www.youtube.com/watch?v=4GJDhocT1D8

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Amostra Científica do IJBA

Queridos amigos,

Mais uma vez o nosso Projeto de Arteterapia no NACCI, será apresentado em um evento do IJBA. Vale lembrar que o mesmo foi elaborado em vários módulos de trabalho, portanto, convido vocês para mais um encontro!!!
Toda a programação será especial!!!

Muita paz

Ana Passaro



Amostra Científica do Instituto Junguiano da Bahia
e Ritual de Formatura para os novos Pós-graduandos.
6 de novembro de 2010
Local: CASA DO COMÉRCIO
Programação:
8:30 às 9:00h Abertura

9:00 às 10:00h Painel sobre os livros:

Luzes e Sombras do Cotidiano – contos de Carlos São Paulo

Cuida Bem de Mim – Ney Wendell

Arte, Neurociência e Transcendência – Celeste Carneiro

10:00 às 10:30h coffee break

SALÃO A
Curso de Psicoterapia Analítica, Psicossomática e Teoria em
Psicologia Analítica.

10:30 às 11:10h O TEMPO NA SINCRONICIDADE com Ana
Farias.

11:10 às 11:40h A QUESTÃO DA ANIMA NO FUNCIONAMENTO
OBSESSIVO com Mauro Gazzola.

11:40 às 12:10h A JORNADA SAGRADA DA EXISTÊNCIA com
Solana Fernandes.

12:10 às 12:30h PERGUNTAS

Mediador: Carlos São Paulo

SALÃO B
Curso de Psicopedagogia

10:30 às 11:00h O HERÓI COM DIFICULDADE DE
APRENDIZAGEM – Maria Arminda

11:00 às 11;30h A FÊNIX COMO SÍMBOLO DE RENOVAÇÃO DE
UMA INSTITUIÇÀO ESCOLAR – Zélia Quadros Maia

11:30 às 12:00h A INDISCIPLINA NO PROCESSO DE
APRENDIZAGEM – Liziane Rozental Netto

12:00 às 12:30h DEBATE
Mediadora: Maria Arminda Tutti

TARDE:
SALÃO A
PSICOTRAUMATOLOGIA

14:30 às 14:50h EXPERIÊNCIA SOMÁTICA E ANÁLISE
JUNGUIANA: uma intervenção psicofísica para o tratamento da
ansiedade, estresse e trauma – Liana Netto.

Curso de Arteterapia
14:50 às 15:10 Diana Santiago da Fonseca- “Cores, sons, Self: uma
proposta arteterapêutica para o Projeto Incluir.”

15:10 às 15:30 Mário Aleluia “Arteterapia: A Criatividade como
Caminho de Transformação e Cura.”

15:30 às 15:50 Camila Borba Baqueiro “A mulher e o homem que
habita em seu íntimo: um estudo de caso.”

15:50 às 16:10 Célia Regina Bergamasque “ Redescobrindo o prazer
de viver: projeto Nacci.”


16:10 às 16:30 Ney Wendell “ A Arte transforma a violência nas
escolas. Projeto Cuida Bem de Mim.”

Mediadora: Carla Maciel

SALÃO B
Curso de Psicologia das Organizações

14:30 as 15:00 Absolon Macedo – “Ascensão e queda do super-herói
corporativo – a alienação pessoal e a inflação do ego do líder
organizacional.”

15:00 as 15:30 Ana Carolina Daltro Sampaio – “E era a onça
mesmo....”

15:30 as 16:00 Amélia Maria Dacach Simões – “A individuação no
trabalho –
um estudo através do Mito de Hércules.”

16:00 as 16:30 Discussão com a platéia

Mediadora: Ermelinda Ganem Fernandes Silveira

16:30 às 17:00h Coffee Break

17:00 às 18:00h SOLENIDADE – certificação dos alunos pósgraduados
em:
Psicoterapia Analítica
Psicossomática
Arteterapia
Psicopedagogia
Teoria em Psicologia Analítica
Psicologia das Organizações
ENTRADA FRANCA

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Projeto Arteterapia na Escola.



A vontade de realizar um trabalho arteterapêutico no ambiente escolar já existia e neste ano de 2010, estando mais em contato com a coordenação da escola onde meu filho estuda, elaborei o projeto voluntário e convidei minhas companheiras de Arteterapia para um grande desafio: atendermos duas turmas de 5º ANO.
Desde junho passamos a nos reunir semanalmente, e, em julho aconteceu o nosso primeiro atendimento. O trabalho terminou, com êxito, em outubro de 2010, deixando saudade. Em breve muitas novidades serão divulgadas...e boas!!!
Todos os encontros foram elaborados a partir das informações fornecidas pela coordenação e professores, passando por três etapas: autopercepção, eu e o meu grupo, e finalmente, o grupo.
O nosso grande parceiro neste projeto experimental foi o Colégio Integral Kids. Agradecemos à TODA A EQUIPE do kids e em especial às coordenadoras Suzy e Lígia. Nosso obrigada também para Patrícia, Ana Patrícia e Leila, pela paciência e cooperação.
Por fim, nosso agradecimento aos pais e alunos, porque sem eles...nosso trabalho não aconteceria.
Certamente, este trabalho abrirá portas para os arteterapeutas, pela seriedade e amorosidade com que foi realizado.
Como coordenadora deste projeto, me sinto muito feliz e agradeço de coração minhas amigas e companheiras de trabalho: Célia Bergamasque, Cláudia Antunes, Cristiane Padin, Jeane Ribeiro e Tânia Nunes. Não foi fácil...mas conseguimos...e conseguimos com a certeza de termos realizado a nossa proposta. Sem vocês...não teria sido possível!!!
Muita paz e muita gratidão
Ps. Assim que possível alguns registros sobre este último projeto serão publicados no blog.
Ana Passaro

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Homenagem e brincadeiras


"A luz brilha onde existe amor."

"Onde existe amor, existe liberdade e alegria."
Sim, amigos, sorrir faz bem para a saúde...brincar faz parte da vida...e aqui não pode faltar a prova disto.
Companheiras de Arteterapia e amigas, Cláudia Antunes e Lúcia Mendonça, merecem meu carinho e admiração.
Com Lúcia, são sempre horas e mais horas de café, filosofia, psicologia...coisas da vida...e mais café...rsrsrsrs
Com Cláudia, são confissões, muitas risadas, um chorinho básico de vez em quando...e uma explosão de boas idéias...
E nessa caminhada, vamos lutando, cada uma com suas armas, com sua beleza, seus mistérios, sua essência...
Se alguém perguntar...vocês tem algum segredo que mantenha essa luz sempre brilhando? Temos, claro, e está exatamente nesta foto...a capacidade de brincar, de sorrir, de fazer o outro sorrir, de descontrair...É o exercício do SER FELIZ!!

Beijo especial para estas duas "amigas de infância"

Ana Passaro

terça-feira, 12 de outubro de 2010

IX CONGRESSO BRASILEIRO DE ARTETERAPIA




"Com a doce, Ana Luiza Baptista, da Incorporar-te / Rio de Janeiro."


"Doris Titze, Alemanha."





"Joana Gusmão, Pós-graduanda em Arteterapia."






"Patrícia Pinna Bernardo autografando seu novo livro A Prática da Arteterapia - Volume V - A Alquimia nos contos e mitos e a Arteterapia: criatividade, transformação e individuação."


"Celeste Carneiro autografando seu novo livro Arte Neurociência e Transcendência."

"Com Lucia Mendonça e Celeste Carneiro."


"Com Carla Maciel (Coord. da Pós-graduação em Arteterapia Junguiana do IJBA) e Lucia Mendonça, artt. baiana."

Aconteceu na UNIP, em São Paulo,entre os dias 8 e 11 de outubro de 2010, o IX Congresso Brasileiro de Arteterapia. Tudo foi perfeito...desde a rica e vasta programação disponível até o coffe break...maravilhoso. A AATESP está de parabéns pela brilhante organização. Parabéns também para a Aluá Eventos e sua equipe.
Com mais de 500 participantes o evento foi um sucesso e para nossa alegria tivemos a notícia de que possivelmente em 2012 a Arteterapia terá seu reconhecimento como profissão.
Particularmente, me senti muito feliz e honrada, por participar do evento e encontrar minhas "mestras" e autoras de tantos livros sobre Arteterapia que tive o prazer de ler.
Destaque carinhoso para minhas queridas professoras, Celeste Carneiro e Patrícia Pinna Bernardo, que lançaram seus livros durante o evento, junto com outros autores. Adorei também conhecer a equipe da WAK Editora, grande colaboradora na luta pelo reconhecimento da Arteterapia, pois tem uma lista enorme de publicações na área.
Enfim...algumas fotos, a saudade e meu coração cheio de alegria.
Muita paz,

Ana Passaro

PS do coração: Duas fotos muito importantes não estão aqui, mas estão guardadas no meu coração. A que não tiramos, Patrícia, mas que tenho absoluta certeza que ainda teremos várias oportunidades. E a foto da minha amiga especial...brilhante, iluminada, animada e companheira de risos, lágrimas e projetos, Cláudia Antunes. BEIJO ESPECIAL PARA VOCÊS DUAS.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Artigo sobre Arteterapia e educação.

Mais uma brilhante contribuição sobre a importância da Arteterapia dentro do ambiente escolar. Recomendo a leitura deste texto simples, claro e inteligente. Parabenizo a minha amiga Celeste.
Muita paz,
Ana


Arteterapia e educação

Celeste Carneiro

Através da nossa experiência ao longo destas três últimas décadas trabalhando com Artes e Educação, pudemos constatar o quanto as atividades artísticas facilitam a aprendizagem de qualquer disciplina, sendo grandes parceiras na produção do conhecimento e do desenvolvimento do potencial humano.
Atividades como dramatização, música, artes plásticas, modelagem e toda uma gama de expressões artísticas, incluindo desenhos feitos no computador, enriquecem as aulas em qualquer nível de escolaridade.
Mais recentemente, em nosso país, o atendimento com Arteterapia tem servido para tratar os mais diversos problemas, tanto de aprendizagem como também para as questões mais difíceis e traumáticas, proporcionando uma visão mais rápida e profunda daquilo que infelicita as pessoas, uma vez que o seu instrumento é o símbolo e não somente as palavras.
A Arteterapia vem sendo usada em clínicas, hospitais, escolas, empresas, como mais um recurso de crescimento interior e bem-estar das pessoas.
A importância maior está naquilo que a arte revela do inconsciente e o seu efeito no consciente, melhorando o seu viver e o seu sentir.
O aprofundamento no estudo das características do ser humano, assim como das suas dificuldades, facilitará a atuação de quem lida com gente.
Numa sala de aula, por exemplo, estão reunidos alunos de diferentes formas de ser. Um professor hábil utilizará de recursos que atinjam a cada um de forma apropriada. O psicoterapeuta Carl Gustav Jung identificou quatro tipos diferentes de pessoas, ou quatro funções psíquicas, acrescidos da forma como elas se colocam no mundo: as que se identificam com o exterior são as extrovertidas; as que trazem suas impressões e valorizam mais o seu mundo interior são as introvertidas. As funções psíquicas são: pensamento - aquelas pessoas que ficam à vontade quando o assunto exige raciocínio lógico; sentimento - fazem julgamento a partir do que sentem; sensação - preocupam-se mais com o aqui e agora, o concreto, o material; e intuição - as pessoas que valorizam os seus sonhos, intuição, a imaginação e dão asas à sua criatividade.
Na aula, se forem utilizados recursos que atendam a todos esses tipos de personalidade, o rendimento será bem melhor. Poderemos usar, por exemplo, os recursos do Mapa Mental, a Imaginação Criativa, Associação, Exercícios de Relaxamento, trabalhos corporais, mandala, etc.
Com algumas dessas atividades as pessoas se aquietam, desenvolvem a atenção e a concentração, estimulam o raciocínio lógico, a habilidade com a Geometria, desenvolvem a organização interna, o que reflete no seu exterior.
Além do trabalho de treinamento de professores e atividades em sala de aula, a Arteterapia tem um lugar de muita eficácia no atendimento individual aos alunos que apresentam alguma dificuldade, seja ela de aprendizagem ou de ordem emocional e familiar.


Autora do livro Arte, Neurociência e Transcendência publicado pela WAK Editora.
www.artezen.org e http://criatividadeecerebro.blogspot.com/. Os livros estão em livrarias por todo o país e também podem ser adquiridos através dos tels (21) 3208-6095 / (21) 3208-6113 ou pelo e-mail wakeditora@uol.com.br

terça-feira, 8 de junho de 2010

Workshop - Sinergias Aromáticas


Pessoas queridas, mais um momento imperdível!!!
Mais que recomendado...
Beijo e muita paz
Ana Passaro

terça-feira, 18 de maio de 2010

E ainda pesquisando sobre Arteterapia nas escolas.

Compartilhar as informações...
Pensando assim, minha querida amiga e companheira de projetos arteterapêuticos, Célia Bergamasque, me enviou mais um texto sobre a Arteterapia.
Boa leitura e muita paz
Ana Passaro



Tema: Arte-Terapia na Escola
________________________________________

Ada Cristina Garcia Toscanini
Maria Angélica Rente Basso
Data: Abril de 2005
Instituição: Mercado Arte
________________________________________
Entende-se por terapia o tratamento cuja finalidade é aliviar um estado deteriorado, para que o funcionamento normal do indivíduo se restabeleça. Neste sentido, a arte-terapia é uma abordagem terapêutica que utiliza conhecimentos oriundos dos campos da Psicologia, da Filosofia e da arte, com o objetivo de auxiliar o ser humano a lidar com os desafios apresentados pela vida. Na arte-terapia trabalhamos com os chamados mediadores de expressão (artes plásticas, teatro, dança, música, jogos cooperativos, contos de fada, etc.), que facilitam o trabalho terapêutico ao permitir que o indivíduo expresse o seu Eu interior de forma não-verbal. Assim sendo, por meio das diferentes expressões artísticas o indivíduo é incentivado a participar de um processo de criação e leitura da sua obra, tocando impreterivelmente pontos significativos e/ou conflitivos da sua vida, com a intenção de reorganizar e equilibrar os mesmos.
Na arte-terapia são utilizadas técnicas artísticas variadas para provocar a comunicação verbal, que normalmente é camuflada pelo raciocínio. A troca de idéias e conceitos estimula o diálogo, que tem como principal objetivo a transformação pessoal. Ela possibilita a comunicação entre as pessoas e o encontro consigo mesmo. Sabendo que, assim como nas entrelinhas de um texto ou de um discurso oral, muitas coisas podem ser descobertas, isso também acontece com a pintura, a escultura, a expressão corporal, a música e o teatro, ao utilizar técnicas artísticas para descobrir e explorar as qualidades únicas e interiores de cada um, ampliando seu universo de percepção.
De tempos em tempos cresce em nós a necessidade de buscar e alcançar o nosso próprio centro. A capacidade humana de perceber, figurar e re-configurar suas relações consigo mesmo, com os outros e com o mundo, se manifesta tanto na arte como nos processos terapêuticos. A arte é a facilitadora de tais processos, pois contém em si a própria natureza de uma realidade alternativa na qual, eximidos das conseqüências que a realidade do cotidiano nos impõe, podemos relaxar nossas defesas e nos permitir contatar, sentir, elaborar e expressar, o que de outra forma seria perigoso e ameaçador.
Isso diferencia a arte da arte-terapia, pois ao fazer isto na terapia, o indivíduo tem possibilidade de redimensionar esses conteúdos, na presença de um outro que escuta e ajuda a elaborar. A liberdade nos trabalhos chega a resultados profundos, atingindo o âmago do participante de forma mais rápida, possibilitando que sua problemática surja naturalmente num processo de autodescobrimento.
Ao acolher o indivíduo e disponibilizar um ambiente em que ele possa criar arte e falar sobre o seu processo de criação, a arte-terapia possibilita:
Aumentar a autoconsciência e auto-estima.
Lidar com sintomas de doenças, stress e experiências traumáticas.
Desenvolver habilidades cognitivas e sociais.
Estimular a imaginação e a criatividade.
Expressar sentimentos difíceis de verbalizar.
Desenvolver hábitos saudáveis.
Identificar sentimentos e bloqueios na expressão emocional/afetiva e no crescimento.
Abrir canais de comunicação, tornando a expressão verbal mais acessível.
O público alvo da arte-terapia é muito diversificado. Todas as pessoas podem se beneficiar dela, independente de idade, sexo, crença ou nível social. Podemos aplica-la em diversos ambientes, como, por exemplo, em empresas, para os colaboradores em geral; em escolas, para alunos, profissionais da educação e pais; em instituições, para funcionários ou beneficiários. Ela pode também ser aplicada em consultórios e ateliês terapêuticos, de forma individual ou em grupos formados por pessoas interessadas no equilíbrio, na qualidade de vida ou quando sentem suas forças ameaçadas por causa do stress, de problemas triviais que às vezes levam à depressão, ao desânimo, à falta de confiança, à baixa auto-estima. indicada para quem sente necessidade de aumentar o conhecimento interno de si, adquirindo assim uma maior estabilidade emocional, e é utilizada como terapia de apoio em tratamentos psicológicos e psiquiátricos.
Arte-terapia nas escolas
A escola é um espaço fundamental na construção da identidade do indivíduo, pois atua de forma importante na formação de valores e princípios que irão nortear a vida de seus alunos. Contudo seu trabalho só será realizado de forma plena se essa atuação ocorrer em um ambiente que propicie a boa interação entre profissionais de educação, alunos e responsáveis. Para que isso ocorra, deve haver uma preocupação em relação à qualidade de vida de todas as pessoas envolvidas no processo de ensino-aprendizagem. , portanto, extremamente necessário que se realizem atividades que possibilitem a integração entre os objetivos da escola, as necessidades dos alunos, a atuação dos educadores e expectativas dos pais, sem se esquecer do fundamental, que é a transformação de seus alunos e filhos em indivíduos conscientes, críticos e atuantes, que possam colaborar na conquista de uma melhor qualidade de vida para todos.
Entre outros objetivos a arte-terapia irá atuar no trabalho com os alunos:
Estimulando a criatividade e a imaginação.
Desenvolvendo o pensamento crítico.
Explorando novas formas de expressão.
Possibilitando o auto conhecimento.
Desenvolvendo o interesse e a concentração, melhorando o desempenho escolar.
Auxiliando no tratamento de distúrbios de aprendizagem.
Lidando com preconceitos e estimulando a cooperação e o companheirismo entre alunos.
No trabalho com professores, coordenadores e colaboradores em geral, serão abordados assuntos como:
Como estimular o aluno a utilizar outras formas de expressão.
A importância da comunicação.
Como lidar com o stress no ambiente escolar.
Autoconhecimento.
Estímulo a trabalhos multiciplinares.
Como trabalhar em grupo.
Ao trabalhar com os pais, a arte-terapia oferece a oportunidade de se discutir:
A importância da participação dos pais ou responsáveis nos processos escolares.O papel da família no equilíbrio da criança.
Como lidar com o stress na vida cotidiana.
Como auxiliar seu filho a lidar com os desafios da vida.
O processo "arte terapêutico" ocorrerá na forma de atividades voltadas para os públicos específicos, depois de uma avaliação das necessidades e expectativas da escola. Algumas das atividades sugeridas são:
Workshops com educadores, de curta duração ou em final-de-semana.
Atelier terapêutico para alunos com dificuldades de aprendizagem e relacionamento.
Oficinas com alunos, em horário extracurricular.
Encontros com os pais ou responsáveis, na forma de palestras ou oficinas.
"Acampamento", com duração de um final de semana, com participação de alunos, educadores e responsáveis.


Texto publicado na revista ABC Educatio em Abril de 2005.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Arteterapia nas escolas.

Pesquisando sobre Arteterapia nas escolas, encontrei esta reportagem escrita por Sara R. Oliveira. Divido com vocês estas informações tão importantes para todos os arteterapeutas.

Muita paz e boa leitura!
Ana Passaro




As crianças e os seus segredos
Por Sara R. Oliveira| 2008-03-05
Trabalhar com emoções e sentimentos da arte-terapia ainda é pouco comum nas escolas. Técnicos realçam potencialidades do método para identificar problemas.
O lápis e o papel branco. A arte-terapeuta Mónica Mariano começa com o material mais familiar para se dar a conhecer ao grupo de seis crianças do 2.º e 3.º anos de escolaridade do 1.º ciclo do Ensino Básico. Os mais pequenos desenham e são estimulados a falar do que lhes vai na alma. Do papel para o barro, do barro para pinturas em papel cenário. Constroem-se casas em cartão, usam-se aguarelas para controlar as tintas mais líquidas. Há berlindes colocados na folha no momento do desenho para que se lide com a frustração de não se conseguir pintar o que se quer. Neste momento, a arte-terapeuta trabalha com marionetas numa das EB1 de Loulé, no Algarve. Mónica Mariano está a realizar o estágio do curso de arte-terapia. Pediu à escola de Loulé que indicasse quais os alunos que tinham problemas ao nível da aprendizagem e do comportamento. Entrevistou as crianças e os pais e seleccionou o grupo com o qual trabalha algumas horas por semana.

É preciso ajustar o método, escolher a arte mais adequada ao grupo. Mónica Mariano adianta que o que se passa dentro das quatro paredes da sala é guardado convenientemente. A arte-terapeuta não entra em grandes pormenores com os pais ou encarregados de educação. Aos professores vai perguntando se há ou não progressos. "Não entro em muitos pormenores. A criança está, de alguma forma, a entregar alguns segredos", explica. "Não vou muito ao detalhe porque a criança precisa dessa confiança", acrescenta. Trabalham-se emoções escondidas, sentimentos guardados que se exteriorizam através dos materiais que são colocados nas mãos. "As crianças podem pintar de outra forma, fazer outra coisa, sem ter de falar das emoções." No fundo, salienta, "trabalha-se mais a criança na sua espontaneidade". Para Mónica Mariano, "a arte-terapia funciona muito bem nas escolas, até em termos de adolescentes porque é um momento que têm para se exprimir, para falar dos seus problemas de uma forma mais livre, não estando restringidos às regras da escola". "É uma forma fantástica de falar das emoções e dos sentimentos", conclui.

Cristina Cruz é arte-psicoterapeuta há seis anos. Exerce psicologia e arte-terapia na EB 2,3 dos Louros na Madeira. Trabalha com alunos dos 10 aos 17 anos, do ensino regular e que frequentam cursos de Educação Formação. Uma sessão de arte-terapia tem três fases. "A primeira de acolhimento das crianças ou dos adolescentes (como foi a semana, acontecimentos especiais de algum aluno); a fase de desenvolvimento onde cada participante expõe as suas angústias de forma expressiva (pintura, escrita criativa, tabuleiro areia, dramatização, colagens), onde depois vamos explorar os sentimentos e emoções de cada um; a fase do encerramento, na qual tentamos conter e sustentar tudo o que se passou na sessão para todos se sentirem acolhidos."

Cristina Cruz considera que a arte-terapia pode ser desenvolvida em qualquer faixa etária. E há frutos que vão sendo colhidos. "O desenvolvimento da criatividade nas crianças e adolescentes proporciona-lhes uma integração diferente da sua forma de percepcionar o meio que os rodeia. De tal forma, que os mediadores da arte-terapia criam um leque de abertura para o próprio self", realça. Na sua perspectiva, há escolas que resistem a abrir a porta a essas experiências. "Penso que nem todas as escolas estão receptivas para esta intervenção. Na escola em que trabalho há uma grande receptividade para a mudança, logo tudo o que surge de novo, e que tenha resultados positivos, é bastante aceite", refere.

Irene Monteiro é psicóloga e está a terminar a formação de arte-terapia. Neste momento, trabalha com um grupo de vítimas de violência doméstica num projecto social. A técnica reconhece que a prática é relativamente nova e que, regra geral, ainda não faz parte de um projecto educativo alternativo. "A arte-terapia pode ser muito útil em contexto escolar porque pode trabalhar com uma população de crianças de risco, em risco de abandono escolar, com dificuldades de aprendizagem, com necessidades educativas especiais." "A intervenção da arte-terapia tem um carácter de tratamento quando há uma problemática instalada. A componente de integração é muito útil", afirma.

Irene Monteiro realça o que a metodologia em que a terapia dá as mãos à arte "trabalha muito de afectos, trabalha questões do foro emocional". "Nas necessidades educativas especiais, a intervenção é muito centrada nos défices cognitivos e a parte emocional, relacional, fica de fora", sublinha. "Na arte-terapia cabem muitas actividades, o que a diferencia é depois o que é feito sobre essas actividades. O arte-terapeuta não é alguém que diz à criança para fazer assim ou de forma diferente, que lhe diz que está bem ou que está mal", acrescenta.

O psicólogo Hugo Cruz usa a arte para trabalhar com alguns alunos recorrendo ao teatro-fórum. A partir de uma peça de teatro, os alunos podem trocar de papéis para mudarem o rumo da história, para tentar resolver problemas identificados na representação. Usa a arte e não a terapia numa lógica, explica, "mais preventiva e educativa e não tanto remediativa". A violência doméstica é o tema que tem percorrido vários estabelecimentos de ensino do concelho de Santa Maria da Feira, onde Hugo Cruz coordena o projecto municipal Direitos & Desafios. O psicólogo afirma que a arte-terapia faz todo o sentido nas escolas. "Pode ser um excelente instrumento para exteriorizar emoções relacionadas com as vivências na escola." "O facto de se ter uma má nota tem uma carga emocional e uma implicação muito fortes", alerta.

A arte-terapia ainda é pouco utilizada nas escolas portuguesas. Esta relação particular entre o sujeito, o objecto de arte e o terapeuta não consta nos planos curriculares. A metodologia é bastante abrangente, uma vez que recorre a diversas componentes artísticas como pintura, desenho, jogos, marionetas, música, expressão corporal, poesia, escrita livre e criativa, colagens, modelagens. Tudo o que estiver ao alcance para abordar emoções e sentimentos. O objecto de arte serve sobretudo para mediar as expressões.

Nas contas feitas pela Sociedade Portuguesa de Arte-Terapia (SPAT) há, neste momento, oito estabelecimentos de ensino a recorrerem a esta prática. "Temos vários membros a actuar em contexto escolar. No Porto, na Grande Lisboa, no Algarve, na Madeira, com grupos diversos em termos de idade, classe social, problemática, etc. A recepção desse tipo de intervenção costuma ser muito boa. Não é mais solicitada por desconhecimento por parte dos profissionais de educação", adianta Daniela Martins, da SPAT. A responsável defende que a arte-terapia deve ser usada em contexto escolar, abrangendo todas as faixas etárias. "As situações podem ser diversas, dependendo do objectivo do trabalho: apoio à aprendizagem, comportamento, desenvolvimento criativo e pessoal, apoio à educação especial, apoio ao desenvolvimento motor, problemáticas específicas do foro psiquiátrico, etc."

No caso concreto das necessidades educativas especiais, Daniela Martins realça que o método pode trazer vantagens ao nível do "apoio ao desenvolvimento cognitivo/motor, apoio à aprendizagem, criação de um espaço de confiança para liberação da dor, facilitar a espontaneidade, trabalhar questões relativas à eventual exclusão social, estimulação sensorial". "A arte-terapia costuma ser muito bem recebida nas escolas, com a utilização das mais variadas técnicas: expressão plástica, musical, dramática, corporal", remata.

O endereço do site:

http://www.educare.pt/educare/Actualidade.Noticia.aspx?contentid=47B34A8D1F5235B4E04400144F16FAAE&opsel=1&channelid=0

domingo, 9 de maio de 2010

Mães

Parabenizo todas as mães....mas também as mulheres que ainda não passaram pela gestação. Vamos concordar que todas as mulheres cuidam, acolhem, amam, acompanham...e que este é um comportamento bem maternal....então...parabéns para todas!
Aí...penso nos homens que tantas vezes exercem o papel de pai e de mãe....sim....e quando o fazem é sempre com uma dedicação invejável....
E assim....FELIZ DIA DAS MÃES!!!! Um desejo bem amplo, bem acolhedor, sem preconceitos e acompanhado de um belo sorriso!!!
Beijos
Ana Passaro

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Dia do Arteterapeuta - 22 de abril

Parabenizando todos os Arteterapeutas, repasso para vocês a informação que me foi fornecida pela querida Celeste Carneiro.
Que alegria sabermos que neste dia estamos todos juntos, vibrando positivamente pela nossa atividade!
Muita paz
Ana Passaro



Do site http://www.aatesp.com.br/material/VOCE_SABIA_Dia%20Nacional%20do%20Arteterapeuta.pdf:

"Você sabia que dia 22 de abril é o Dia Nacional do Arteterapeuta?

Durante o VII Fórum de Arteterapia realizado na cidade de Niterói, no dia 21.04.2007, ficou estabelecido que no dia 22 de abril de cada ano será comemorado o
Dia Nacional do Arteterapeuta. E por que 22 de abril?

Porque é a data de fundação da UBAAT (União Brasileira das Associações de Arteterapia).

Essa data simboliza todos os esforços, de cada um de nós, com fins ao reconhecimento do profissional arteterapeuta, não só perante nossa comunidade, mas também àqueles profissionais das várias áreas com as quais nos relacionamos.

A definição de uma data como esta é um marco, no sentido de prestarmos atenção ao nosso papel como agentes de transformação e pela conquista de um espaço construído com muito trabalho, dedicação e amor."

Conselho Diretor

terça-feira, 20 de abril de 2010

NOVOS EVENTOS - Arteterapia e Psicologia Junguiana





Arteterapeutas, terapeutas, psicólogos e todos os que são apaixonados pela Psicologia Junguiana... Aqui estão os cartazes de dois eventos que recomendo. O primeiro acontecerá em Salvador, na sede da ASBART, e o segundo, acontecerá no Rio de Janeiro.

Muita paz!

Ana Passaro

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Chico Xavier...antes de tudo um exemplo que deveria ser seguido!

Queridos amigos,

Recebi por email esta carta que demonstra a revolta de todos os que admiram o exemplo que foi Chico Xavier. Exemplo de humildade, de amor ao próximo, de doação e isso sem citar o magnifíco trabalho que prestou como médium.
Entendo que cada pessoa pode e deve escolher seus próprios caminhos, mas muito me espantou o fato de uma publicação até então considerada séria, como a Superinteressante, ter-se prestado a um papel como este. Sou espírita kardecista e na minha opinião Chico Xavier foi um ser humano digno, sim, de reverência e foi, sim...um exemplo a ser seguido...coisa que poucos de nós conseguem, tamanho foi seu desprendimento e entrega. Esta escolha que fiz, porém, não me tornou alienada e nem "cega"...ao contrário deu-me suporte para abrir minha mente para o estudo, para conhecer outras religiões, para compreender os seres humanos, suas dores e alegrias. E assim, convicta de minhas escolhas, posso conhecer e tirar o melhor de tudo que me cerca...psicologia junguiana, cultura oriental, técnicas meditativas, religião pagã e assim por diante...a lista é bem longa. Sem pré-conceitos e sem pré-julgamentos.
Desta forma...assim como a citada revista se acha no direito de tentar denegrir a imagem de alguém que só trabalhou pelo bem, eu também me acho no direito de apoiar e divulgar aqui este protesto e mais uma vez declarar minha admiração e meu respeito por Chico Xavier.
Ana Passaro
Segue a carta de protesto e o link com a reportagem:

"Carta enviada a Revista Super Interessante

sobre Chico Xavier

Para quem não leu a reportagem copie o link abaixo e cole na barra de navegação.

http://www.forumespirita.net/fe/artigos-espiritas/revista-super-interessante-tenta-humilhar-a-imagem-de-chico-no-seu-centenario/?PHPSESSID=f91169c0a2ab88ce1dcb3dbf37b24a27



Senhor Sérgio Gwercman
Diretor de redação da revista Super Interessante

Sou assinante dessa revista há muitos anos. Sempre a encarei como publicação séria, fonte de informações a oferecer subsídios para meu trabalho como escritor espírita, autor de 49 livros publicados.
Essa concepção caiu por terra ao ler, na edição de abril, infeliz reportagem sobre Francisco Cândido Xavier, pretensiosa e tendenciosa, objetivando, nas entrelinhas, denegrir e desvalorizar o trabalho do grande médium.
Isso pode ser constatado já na seção “Escuta”, com sua assinatura, em que V.S. pretende distinguir respeito de reverência, como se reverência não fosse o respeito profundo por alguém, em face de seus méritos.
Podemos e devemos reverenciar Chico Xavier, não por adesão de uma fé cega, mas pela constatação racional, lúcida, lógica, de que estamos diante de uma personalidade ímpar, que fez mais pelo bem da Humanidade do que mil edições de Superinteressante, uma revista situada como defensora do bom jornalismo, mas que fez aqui o que de pior existe na mídia – a apreciação superficial e tendenciosa a respeito de alguém ou de uma notícia, com todo respeito, como pretende seu editorial, como se fosse possível conciliar o certo com o errado, o boato com a realidade, o achincalhe com o respeito.
Para reflexão da repórter Gisela Blanco e redatores dessa revista que em momento algum aprofundaram o assunto e nem mesmo se deram ao trabalho de ler os principais livros psicografados pelo médium, sempre com abordagem superficial, pretendendo “explicar” o fenômeno Chico Xavier, aqui vão alguns aspectos para sua reflexão e – quem sabe? – um cuidado maior em futuras reportagens.
De onde a repórter tirou essa bobagem de que “toda essa história começou com as cartas dos mortos?”
Se as eliminarmos em nada se perderá a grandeza de Chico Xavier. A história começa bem antes disso, com a publicação, em 1932, do livro Parnaso de Além-Túmulo, quando o médium tinha apenas 22 anos.
A reportagem diz: “Ele dizia que não escolhia os espíritos a quem atenderia, só via fantasmas e ouvia vozes. Mas parecia ser o escolhido por celebridades do céu. Cruz e Souza, Olavo Bilac, Augusto dos Anjos e Castro Alves lhe ditaram versos e prosa.”
Afirmativa maliciosa, sugerindo o pastiche, a técnica de copiar estilo literário. O repórter não se deu ao trabalho de observar que no próprio Parnaso há, nas edições atuais, 58 poetas desencarnados, menos conhecidos e até desconhecidos, como José Duro, Alfredo Nora, Alma Eros, Amadeu, B.Lopes, Batista Cepelos, Luiz Pistarini, Valado Rosa… Poetas do Brasil e de Portugal que se identificam pelo seu estilo, em poesias personalíssimas enriquecidas por valores de espiritualidade.
Não sabe ou preferiu omitir a repórter que Chico psicografou poesias de centenas de poetas desencarnados, ao longo de seus 75 anos de apostolado, na maior parte poetas provincianos, conhecidos apenas nas cidades onde residiam no interior do Brasil. Pesquisadores constatam que esses poemas não são “razoavelmente fiéis ao estilo dos autores”. São totalmente fiéis.
Não tem a mínima noção de que a técnica do pastiche, a imitação de estilo literário, é extremamente difícil, quase impossível. Pastichadores conseguem imitar uma página, uma poesia de alguém, jamais toda uma obra ou as obras de centenas de autores.
Afirma que Chico foi autodidata e leitor voraz durante toda a vida, sempre insinuando o pastiche. Leitor voraz? Passava os dias lendo? Só quem não conhece sua biografia pode falar uma bobagem dessa natureza, já que Chico passava a maior parte de seu tempo atendendo pessoas, psicografando, participando de reuniões e atendendo à atividade profissional. Não conheço um único documentário, uma única foto mostrando Chico lendo “vorazmente”. Ah! Sim! Para a repórter Chico certamente escondia isso.
Fala também que Chico teria 500 livros em sua biblioteca e que “a lista inclui volumes de autores cujo espírito o teria procurado para escrever suas obras póstumas, como Castro Alves e Humberto de Campos”.
E as centenas de poetas e escritores que se manifestaram por seu intermédio. Chico tinha livros deles? E de poetas que sequer publicaram livros?
Quanto a Humberto de Campos, cuja família tentou receber na justiça os direitos autorais pelas obras psicografadas por Chico, o que seria ótimo acontecer, o reconhecimento oficial da manifestação dos Espíritos, esqueceu-se a repórter de informar que Agripino Grieco, o mais famoso crítico literário de seu tempo, recebeu uma mensagem do escritor, de quem era amigo. Reconheceu que o estilo era autenticamente de Humberto de Campos, mas que o fato para ele não tinha explicação, já que, como católico praticante, não admitia a possibilidade de manifestação dos espíritos.
Esqueceu ou ignora que Chico, médium psicógrafo mecânico, recebia duas mensagens simultaneamente, com ambas as mãos sendo usadas por dois espíritos. Desafio Superinteressante a encontrar um prestidigitador capaz de fazer algo semelhante.
Uma pérola de ignorância jornalística está na referência sobre materialização de Espíritos: “seria necessário produzir um total de energia duas vezes maior do que é hoje produzido pela hidroelétrica de Itaipu por ano, segundo os cálculos feitos por especialistas exibidos por reportagens sobre Chico nos anos 70.” Seria superinteressante a repórter ler sobre as pesquisas de Alfred Russel Wallace, Oliver Joseph Lodge, Lord Rayleigh, William James, William Crookes, Ernesto Bozzano, Cesare Lombroso, Alexej Akzacof e muitos outros cientistas respeitáveis que estudaram o fenômeno da materialização e o admitiram. Leia, também, sobre quem eram esses cientistas, para constatar que não agiam levianamente como está na revista.
A repórter reporta-se às reuniões mediúnicas das quais Chico participava como shows que o tornaram famoso e destila seu veneno. Cita o sobrinho de Chico que, dizendo-se médium, confessou que era tudo de sua cabeça, o mesmo acontecendo com o tio. Por que passar essa informação falsa, se o próprio sobrinho de Chico, notoriamente perturbado e alcoólatra, pediu desculpas pela sua mentira? Joga penas ao vento e espera que o leitor as recolha? Omitiu também a informação de que ele confessou que pessoas interessadas em denegrir o médium pagaram-lhe pela acusação.
Eram frequentes nas reuniões a ocorrência de fenômenos como a aspersão de perfumes no ambiente, algo que, deveria saber a repórter, costuma ocorrer com os médiuns de efeitos físicos. No entanto, recusando-se a colher informações mais detalhadas sobre o assunto, limitou-se a dizer que em 1971 um repórter da revista Realidade, José Hamilton Ribeiro, denunciou que viu um dos assessores de Chico Xavier levantar o paletó discretamente e borrifar perfume no ar. Sugere que havia mistificação, aliás, uma tônica na reportagem. Por que não foram consultadas outras pessoas, inclusive centenas que tiveram seus lenços inexplicavelmente encharcados de perfume ou a água que levavam para magnetizar, a exalar também um odor suave e desconhecido que perdurava por muitos dias?
Na questão das cartas, milhares e milhares de cartas de Espíritos que se comunicavam com os familiares, sugere a repórter que assessores de Chico conversavam com as pessoas, anotando informações para dar-lhes autenticidade. Lamentável mentira. E ainda que isso acontecesse, Chico precisaria ser um prodígio para ler rapidamente as informações e inseri-las no contexto de cada mensagem, de cada espírito, mistificando sempre.
E as mensagens dirigidas a pessoas ausentes? E os recados aos presentes? Não eram só mensagens. Eram incontáveis recados. A pessoa aproximava-se de Chico e ele, sem conhecer nada de sua vida, transmitia recados de familiares desencarnados, na condição de um ser interexistente, que vivia simultaneamente a vida física e a espiritual, em contato permanente com os Espíritos.
Lembro o caso de um homem inconformado com a morte de um filho. Ia toda noite deitar-se na sepultura do rapaz, querendo “ficar com ele”. Não contava a ninguém, nem mesmo aos familiares. Em Uberaba recebeu mensagem do filho pedindo-lhe que não fizesse isso, porquanto ele não estava lá.
Durante muitos anos Chico psicografou receituário mediúnico de homeopatia. Perto de 700 receitas numa noite. Ficava horas psicografando. E os medicamentos correspondiam à natureza do mal dos pacientes, sem que o médium deles tivesse o mínimo conhecimento. Na década de 70 tive uma uveíte no olho esquerdo. Compareci à reunião de receituário. Escrevi meu nome e idade numa folha de papel. Não conversei com ninguém. Após a reunião recebi a indicação de dois medicamentos. Tornando a Bauru, onde resido, verifiquei num livro de homeopatia que o dois medicamentos diziam respeito ao meu mal. Curaram-me.
Concebesse a repórter que, como dizia Shakespeare, há mais coisas entre a Terra e o Céu do que concebe nossa vã sabedoria, e não se atreveria a escrever sobre assuntos que desconhece, com o atrevimento da ignorância.
Outras “pérolas” da reportagem:
Oferece “explicações” lamentáveis para o fenômeno Chico Xavier.
Psicose, confundindo mediunidade com anormalidade.
Epilepsia, descarga elétrica que “poderia causar alheamento, sensação de ausência, automatismo psicomotor”, segundo a opinião de um médico. Descreve algo inerente ao processo mediúnico, que não tem nada a ver com desajuste mental, ou imagina-se que o contato com o Espírito comunicante não imponha uma alteração nos circuitos cerebrais, até para que ocorra a manifestação? E porventura o médico consultado sabe de algum paciente que produza textos mediúnicos durante a crise epilética?
Criptomnésia, memórias falsas, lembranças escondidas no subconsciente do médium, ao ouvir informações sobre o morto. Inconscientemente ele “arranjaria” essas informações para forjar a “manifestação”.
Telepatia. Aqui o médium captaria informações da cabeça dos consulentes e as fantasiaria como manifestação do morto. Como dizia Carlos Imabassahy, grande escritor espírita, inconsciente velhaco, porquanto sempre sugere que é um morto quem se manifesta, não ele próprio.
Informa a repórter que “acuado pelas críticas na Pedro Leopoldo de 15 mil habitantes, Chico resolveu fazer as malas e partir para Uberaba, um polo do Espiritismo onde contaria com um apoio de amigos”.
Mentira. Ele deixou Pedro Leopoldo, onde tinha muitos amigos, não por estar “acuado”, mas simplesmente seguindo uma orientação do Mundo Espiritual, em face de tarefas que desenvolveria em Uberaba que, então sim, com sua presença transformou-se em “polo do Espiritismo”.
Na famoso pinga-fogo a que Chico compareceu, em 1971, na TV Tupi, um marco na história das entrevistas televisivas, com uma quase totalidade de audiência, diz a repórter que Chico foi “bombardeado por perguntas. Mas se safou.” Bombardeado? Safou-se? O que foi essa entrevista, um libelo acusatório contra um mistificador? Se a repórter se desse ao trabalho de ver a entrevista toda, o que lhe faria muito bem, verificaria que o clima foi de cordialidade, de elevada espiritualidade, e que em nenhum momento os entrevistadores “bombardearam” Chico. E em nenhum momento ele deixou de responder as perguntas com a sobriedade e lisura de quem não está ali para safar-se, mas para ensinar algo de Espiritismo.
Falando da indústria (?) Chico Xavier, há um box sobre “Dieta do Chico Xavier”, que jamais seria veiculada por Chico. Usaram seu nome. Por que incluí-la nas inverdades sobre o médium, simplesmente para denegrir sua imagem, aqui sugerindo que seria ingênuo a ponto de conceber semelhante bobagem? Se eu divulgar via internet que Superinteressante recomenda o uso de cocô de galinha para deter a queda de cabelos, seria razoável que alguma revista concorrente citasse essa tolice, mencionando a suposta autoria, sem verificação prévia?
Falando dos 200 livros biográficos sobre Chico Xavier, a repórter escreve: “Tem até um de piadas, Rindo e Refletindo com Chico Xavier”. Certamente não leu o livro, porquanto não conhece nem o autor, eu mesmo, Richard Simonetti, nem sabe que não se trata de um livro de piadas, mas um livro de reflexão em torno de ensinamentos bem-humorados do médium.
Não fosse algo tão lamentável, tão séria essa agressão contra a figura respeitável e venerável de Chico Xavier, eu diria que essa reportagem, ela sim, senhor redator, foi uma piada de péssimo gosto!
Doravante porei “de molho” as informações dessa revista, sem o crédito que lhe concedia.
A repórter Gisela Branco esteve em Pedro Leopoldo e Uberaba com o propósito de situar Chico Xavier como figura mitológica. É uma pena! Não teve a sensibilidade nem o discernimento para descobrir o médium Chico Xavier, cuja contribuição em favor do progresso e bem estar dos homens foi tão marcante que, a exemplo do que disse Einstein sobre Mahatma Gandhi, “as gerações futuras terão dificuldade para conceber que um homem assim, em carne e osso, transitou pela Terra.”
E deveria saber que não vemos Chico Xavier como um mártir, conforme sugere. Não morreu pelo Espiritismo. Viveu como espírita. E se algo se aproxima de um martírio em seu apostolado, certamente foi o de suportar tolices e aleivosidades como aquelas presentes na citada reportagem.
Finalizando, um ditado Zen para reflexão dos redatores da Super:
O dedo aponta a lua.
O sábio olha a lua.
O tolo olha o dedo.



Richard Simonetti
Bauru, 3 de abril de 2010."





http://www.richardsimonetti.com.br/artigos/superinteressante.html

sábado, 10 de abril de 2010

Coisas que não explicamos...





Queridos,

Esta manhã abri o meu blog e com grande surpresa percebi que no lugar de uma das fotos que postei (já faz algum tempo) estava uma imagem toda azul com um vulto. Bom...observei bastante e pedi que amigos que estavam online naquele momento visitassem o blog. Ninguém mais podia ver a mudança e por esta razão eu usei o recurso Printscreen, salvando a tela, e tirei também algumas fotos da tela do computador.
Bem...depois de mais ou menos uma hora eu observei que a mesma imagem estava no blog da minha amiga Norma, "Sem Fronteiras para o Sagrado", junto com uma postagem sobre a meditação ZAZEN.
Tentei visitar a postagem mas aparecia a informação que a mesma era inexistente e a foto também. Resolvi então buscar no google alguma informação sobre o ZAZEN e encontrei a imagem intrusa...trata-se de um budista em meditação.
Até este momento eu achei que fosse um presente do universo, pois a imagem é muito tranquilizadora...mas infelizmente não podemos descartar a possibilidade de algum ato leviano de hackers. Prefiro continuar acreditando que foi um presente do universo e de qualquer forma estou dividindo com vocês a experiência.

Muita paz
Ana Passaro

domingo, 28 de março de 2010

Arteterapeutas na Jornada do Instituto Junguiano da Bahia






Notícias sobre a Jornada do Instituto Junguiano da Bahia







Aqui estão alguns momentos das apresentações dos trabalhos realizados pelas arteterapeutas do IJBA. A sala estava lotada e o interesse demonstrado foi grande. As pessoas fizeram perguntas sobre a Arteterapia e todos os presentes se emocionaram com as apresentações e com o resultado positivo que os trabalhos mostraram através de fotos e relatos.
Para mim foi uma grande alegria a presença de outros voluntários do NACCI o que me fez sentir antes de qualquer coisa, acolhida. Obrigada ao NACCI por estar comigo nesta caminhada.
Mais uma vez a nossa querida Carla Maciel, Coordenadora da Pós-Graduação em Arteterapia Junguiana do Instituto Junguiano da Bahia, estava conosco, sempre atenta, solícita e coordenando a apresentação da tarde.
A presença de cada um de vocês é que ofereceu brilho e alegria ao evento o que me deixa com vontade de citar todos aqui, mas isso seria inviável. Registro então, em nome de todos, a presença da Presidente da ASBART, Gracia Melo e das Arteterapeutas Larissa Seixas e Rina Dalence.
Parabéns também para Aicil Franco pela organização do evento. Tudo estava perfeito!

Lançamento Oficial da Ser Essencial


No dia 25 de março, no Espaço Holambras, com um cocktail e muitos amigos, Telma Insuela lançou oficialmente a Ser Essencial que oferece uma linha de perfumes maravilhosos, além de outros produtos, todos elaborados a partir do seu conhecimento da Psicoaromaterapia e óleos essenciais. Tudo estava perfeito...o ambiente, as pessoas, a energia do local, enfim, parabéns para Ana, Débora, Patrícia, responsáveis pelo espaço tão acolhedor, e...claro...nossa querida Telma!
Não poderia deixar de registrar este momento...Como ex-aluna, como fã e consumidora da Ser Essencial e como representante de vendas da marca.

Aprovo e recomendo todos os produtos da Ser Essencial, por conhecer a atuação dos óleos essenciais e por utilizá-los diariamente!!!!
Quem quiser conhecer pode fazer uma visita ao Espaço Holambras (o link está disponível no meu blog, com endereço e telefone, assim como o link do site da Telma Insuela), ou entrar em contato comigo, por email ou telefone.

Muita paz para todos

terça-feira, 23 de março de 2010

Jornada do Instituto Junguiano da Bahia

Queridos amigos,



Estarei apresentando uma parte do trabalho realizado no NACCI – Núcleo de Apoio e Combate do Câncer Infantil, neste evento, entre 14h e 15:30h. Toda a programação será muito interessante e o evento é gratuito. Espero contar com a presença e a vibração positiva de todos.

A Arteterapia estará representada pelos seguintes trabalhos:



1) A Mulher e os seus Símbolos: A Dança em Arteterapia
Naranda Costa Borges

2) A Arteterapia e a excelência do Amor favorecendo o equilíbrio emocional de crianças em tratamento quimioterápico.
Ana Maria Passaro Nogueira
Célia Regina Bergamasque
Maria Lúcia Lordelo Mendonça

3)A Arteterapia na Diminuição do Stress Ocupacional e no Desenvolvimento do Potencial Criativo do Trabalhador
Lívia Siqueira Mendonça
Célia Montenegro


Segue toda a programação.

Beijos e muita paz para todos

Ana Passaro



JORNADA DO INSTITUTO JUNGUIANO DA BAHIA



27 DE MARÇO DE 2010



VIOLÊNCIA COTIDIANA: CONSTATAÇÃO, PREVENÇÃO E INTERVENÇÃO



PROGRAMAÇÃO

08h30min. : VIOLÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL: DA TEORIA DO APEGO À TRANSFORMAÇÃO DE UMA SOCIEDADE EM CRISE.

Profª. Drª. CATALINA PÉREZ LÓPEZ, Docente do Departamento de Psicobiologia e Metodologia das Ciências do Comportamento - Área de Metodologia - Especialista em Metodologia e na Teoria do Apego - Universidade de Málaga - Espanha.

10h30min.: BULLING NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA: AUTORES, VÍTIMAS E TESTEMUNHAS.

Profª. Drª. LEILA TARDIVO, Livre Docente da Faculdade de Psicologia da USP, coordenadora do Laboratório de Saúde Mental e Psicologia Clínica Social da USP.



14h. às 15h.30min: APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS ACADÊMICOS DOS ALUNOS DO IJBA (VEJA PROGRAMAÇÃO EM BREVE NO SITE).



16h. IDENTIFICAÇÃO DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA CRIANÇA E ADOLESCENTES: BASES PARA PREVENÇÃO E INTERVENÇÃO

Profª. Drª. LEILA TARDIVO e Profª. Drª. CATALINA PÉREZ LÓPEZ



LANÇAMENTO DO LIVRO:



MANUAL DO INVENTÁRIO DE FRASES NO DIAGNÓSTICO DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES
Instrumento multidisciplinar para identificar e confirmar o fenômeno da violência doméstica. Autores: Leila Cury Tardivo e Antonio Augusto Pinto Junior

EDITORA VETOR PSICO PEDAGÓGICA



INSCRIÇÕES GRATUITAS –VAGAS LIMITADAS

3356 1645 ou instituto@ijba.com.br



www.ijba.com.br

Local do Evento – HOTEL FIESTA

sexta-feira, 12 de março de 2010

Mudança de local - JORNADA

ATENÇÃO!!!!!

JORNADA IJBA SOBRE VIOLÊNCIA E APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DOS EX - ALUNOS

MUDANÇA DE LOCAL

O evento acontecerá no mesmo dia : 27/03/2010 e horário: das 8:30 às 18:30

no HOTEL FIESTA

Av. Antonio Carlos Magalhães 711

Pituba Salvador Bahia

inscrições gratuitas: tel. 3356 1645 ou instituto@ijba.com.br

segunda-feira, 8 de março de 2010

JORNADA JUNGUIANA - IJBA

Estamos muito felizes em convidá-los (as) a participarem da Jornada do IJBA, evento gratuito que acontecerá dia 27/03 na Casa do Comércio. Nessa ocasião, das 14:00 às 15:30, contaremos com a participação de ex-alunos do curso de Arteterapia Junguiana que apresentarão seus trabalhos de conclusão do curso, construídos a partir dos seus estágios na área. A mesa redonda será mediada por Carla Maciel, coordenadora do curso.
Aproveitem a oportunidade e venham conhecer de perto os resultados dessa prática terapêutica nas suas diferentes áreas de atuação!!
Teremos o maior prazer em acolhê-los!
Eis aqui a programação da mesa redonda sobre a prática da Arteterapia:


1) A Mulher e os seus Símbolos: A Dança em Arteterapia
Naranda Costa Borges

2) A Arteterapia e a excelência do Amor favorecendo o equilíbrio emocional de crianças em tratamento quimioterápico.
Ana Maria Passaro Nogueira
Célia Regina Bergamasque
Maria Lúcia Lordelo Mendonça


3)A Arteterapia na Diminuição do Stress Ocupacional e no Desenvolvimento do Potencial Criativo do Trabalhador
Lívia Siqueira Mendonça
Célia Montenegro