Follow by Email

quarta-feira, 8 de julho de 2009

O que é a Arteterapia e quem é o arteterapeuta.

Vivenciar o processo terapêutico por meio da atividade artística. Essa seria a descrição mais simples para definir a Arteterapia. Ao longo da vida, o ser humano vai acumulando suas experiências, e elas nem sempre são bem compreendidas. Dores, frustrações, dúvidas, insatisfações, perdas, doenças, tudo nos mobiliza, mesmo que passemos por cada uma dessas etapas sem aparentemente sofrer danos visíveis. Até mesmo situações que podem ser associadas apenas a momentos de prazer intenso podem gerar alguma espécie de desequilíbrio.
Podemos entender melhor o que se passa no nosso mundo interno se compreendermos que nossa existência é marcada pela polaridade, lei de opostos, e que sempre estamos em desequilíbrio, pois uma escolha automaticamente exclui a outra. Apesar de ser esse fato a mola propulsora do nosso desenvolvimento, é também a fonte dos nossos conflitos. Escolhemos um lado de qualquer situação, mas seu oposto está guardado em algum lugar dentro de nós. Ao evitarmos esse outro lado, ao negarmos sua existência, a tendência natural da vida de buscar o equilíbrio providencia que o lado negado apareça na consciência e até no corpo físico. São os medos, os traumas, as depressões, as doenças com ou sem diagnósticos e tantas outras formas que nosso inconsciente encontra para nos chamar a atenção sobre a necessidade de buscar o equilíbrio.
Mas essa compreensão nem sempre é fácil, e é exatamente aí que a arte serve como veículo de comunicação. Ao elaborarmos um trabalho artístico, criamos um símbolo que estará carregado de nossas emoções. Trabalhando esse símbolo, somos capazes de descobrir qual a mensagem que nosso inconsciente tenta nos transmitir. À medida que conseguimos compreender seu significado e trabalhar as sensações que sentimos durante esse processo, o que era desconhecido e assustador passa a ser material consciente e, portanto, somos capazes de transformá-lo, dar-lhe nova significação.
O arteterapeuta não é um psicólogo, mas é um profissional capaz de facilitar esse processo no cliente a partir da escolha adequada dos materiais artísticos, da leitura de todo o processo arteterapêutico, da observação comportamental do cliente e orientação amorosa e paciente de cada caso. O arteterapeuta deve estar consciente dos seus limites e deve ser capaz de perceber o momento em que pode acontecer a necessidade de encaminhar seu cliente para outros profissionais. Somos facilitadores da busca por si mesmo. Não nos cabe dizer ao cliente como agir, mas cabe-nos a tarefa de observar cuidadosamente cada cliente e sutilmente sugerir este ou aquele caminho. Por meio do estudo das técnicas artísticas e dos materiais, também somos capazes de oferecer ao cliente um caminho que ativará ou desbloqueará determinadas emoções.
A Arteterapia é uma atividade séria e já reconhecida como profissão em diversas partes do mundo. Uma busca simples na internet já nos coloca em contato com associações de arteterpeutas na Itália, no Canadá, nos Estados Unidos, em Portugal, no Brasil, entre outros.
A Arteterapia pode ser vivenciada por todos. Não existe restrição. E por ser um processo que envolve o fazer artístico, já possui uma grande vantagem frente a outros métodos terapêuticos. A arte por si só já é uma atividade terapêutica que, mesmo sem tal enfoque, já proporciona bem-estar, desenvolve a criatividade e relaxa. É também excelente meio de comunicação, pois, através da arte, o indivíduo consegue transmitir com muito mais facilidade os seus sentimentos.
Em comunidades onde a tensão, o estresse, as situações de doenças ou perdas são constantes, a Arteterapia proporcionará, nas pessoas, aumento da autoestima, crescimento individual, entendimento das situações, exercício criativo, aumento da confiança e do poder de superação, melhora da qualidade de vida, melhora das relações consigo mesmo e com os outros, aceitação de si mesmo e melhor posicionamento diante das adversidades. O indivíduo que se sente melhor consigo mesmo, que se sente mais relaxado e alegre, responde melhor a qualquer tratamento médico e convive no seu grupo de forma mais harmônica.
Ana Passaro

8 comentários:

  1. Achei muito bom mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Excelente abordagem, de fácil compreensão. Bacana mesmo!!!

    ResponderExcluir
  3. Fico feliz que tenham gostado!!! Acredito que é através das manifestações simples e claras que conseguimos perceber e nos comunicar com o mundo!
    Muita paz,

    Ana

    ResponderExcluir
  4. Acredito que para ser arterapeuta é necessário o conhecimento clínico de causas que somente um curso de medicina proverá. Acho difícil uma pessoa formada em cursos básicos promover a saúde humana. Mas sempre há quem crê nisto, né?!

    ResponderExcluir